Tablets e sala invertida fazem sucesso em projeto-piloto francês

A escola Jules Haag, na cidade de Besançon, localizada na região de Franche-Comté, no leste da França, tem realizado uma experiência bem-sucedida com o uso de tablets nas aulas. “É rico, variado, sempre tem alguma coisa para descobrir e não temos tempo para ficar entediados”, diz a estudante Marie Limacher.

Toda a classe se prepara para o Baccalauréat (espécie de Enem francês) de maneira colaborativa, com dois modelos de questões distribuídos para diferentes grupos de alunos. Junto com os equipamentos tecnológicos, a metodologia de sala invertida também é bem recebida pelos alunos. Eles precisam assistir vídeos em casa, mas isso acontece de acordo com o ritmo próprio e ajuda a melhor compreensão dos conteúdos mais fáceis. “É bem melhor de fazer [os mais difíceis] na classe, podendo perguntar à professora do que ficar tentando por horas em casa. Tive melhores notas que no ano passado”, diz a aluna.

 

Fonte: 
Le Monde